Estresse e seu Reflexo na Saúde do Professor Stress and its Reaction on Teachers' Health

Estresse e seu Reflexo na Saúde do Professor

RESUMO A importância de agentes estressores é hoje amplamente reconhecida no contexto de saúde, pois podem desencadear situações patológicas, tendo um papel importante na etiologia e na progressão de certas doenças cardiovasculares, como a arteriosclerose. Este artigo teve como objetivo verificar quais as fontes estressantes para o professor universitário, utilizando um instrumento de screening, de maneira a construir um retrato das condições de trabalho do professor e a considerar o reflexo desses acontecimentos sobre a sua saúde. As informações foram obtidas nas assembléias de professores realizadas durante a greve que ocorreu, no ano de 2001, na Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. A partir dos dados indicadores, que configuram situações de estresse arroladas pelos professores que participaram da enquete, foi possível fazer reflexões sobre as condições de saúde do professor ou as que provocam sua doença, bem como sugerir propostas de trabalho a serem amadurecidas coletivamente.

INTRODUÇÃO: Um dos problemas mais comuns que o ser humano enfrenta, em qualquer idade, é o estresse. Esse termo tem sido utilizado na medicina no sentido de caracterizar um estado de tensão que causa ruptura no equilíbrio interno do organismo.

1 A definição clássica de estresse corresponde a um estímulo físico, químico ou emocional que provoca alterações no funcionamento do organismo, as quais, quando excessivas, podem provocar situações patológicas, como hipertensão arterial, artrite e lesões miocárdicas.

Assim, utiliza-se a palavra estresse para significar os estímulos que agridem o organismo e, outras vezes, para referir-se aos sintomas que surgem nas pessoas sob a influência desse mal.

2 O estresse pode, ainda, ser considerado como uma desregulagem de todo o sistema corpo e mente, e não somente um estado passageiro de tensão ou aborrecimento na vida de alguém.

3 É comum observar pessoas estressadas não se relacionando bem, não aproveitando seu potencial e desmotivadas. Assim, é preciso haver um adequado equilíbrio entre tensão e descarga, pois, caso contrário, poderá ocorrer o desencadeamento ou a reagudização de diversas doenças graves, como as cardiovasculares, em que o estresse é considerado um fator de risco.

4 A exemplo do que ocorre nos Estados Unidos, mais de 50% das mortes a cada ano são decorrentes de doenças associadas ao estresse.

5 O tempo necessário para conseguir esse equilíbrio varia de pessoa para pessoa e das estratégias de enfrentamento dos estímulos agressores.

6 A doença raramente é bem vista no trabalho, pois os valores num ambiente de trabalho são construídos, principalmente, sob o foco da produtividade.

Todavia, estar doente significa comprometer os resultados e a imagem da empresa junto à comunidade e à opinião pública.2 Uma das queixas mais freqüentes feitas pelos indivíduos diz respeito ao estresse no trabalho, sendo que uma grande parte das doenças psicossomáticas está diretamente relacionada com essa questão.

7 Para melhor compreensão dessa problemática, é importante considerar a carga de trabalho em dois setores: físico e mental. Este último está relacionado ao desprazer ou à carga de realizar determinado trabalho. Quando um trabalho provoca a diminuição da carga psíquica, ele torna-se fatigante, angustiante, e o reflexo desse quadro pode ser traduzido, entre outros sintomas, por palpitações, hipertensão arterial, tremores, suores, cãibras, desidratação das mucosas.7 Portanto, é necessário haver uma interrupção desse processo, de maneira a transformar um trabalho fatigante em prazeroso e equilibrante. É preciso, ainda, levar em consideração quais os fatores que se opõem à motivação do indivíduo em realizar certas ações ou tender a certos fins.

À luz dessas considerações, pode-se perguntar quais os elementos ou as queixas mais freqüentes feitas pelos indivíduos no que diz respeito ao estresse no trabalho. Pesquisas recentes sobre saúde e trabalho têm sido realizadas

por diversos pesquisadores. Glina et al.8 consideraram que o excesso de trabalho e a pressão por produção ocorrem em todos degraus de hierarquia e que, quanto menor a autonomia do trabalhador na organização de sua atividade, maior a possibilidade de que a atividade gere transtorno à sua saúde mental. Diversas pesquisas mostram que o estresse no trabalho, de longe, é a principal causa de estresse para os americanos adultos.

Acontecimentos recentes indicam que o estresse no trabalho continuará a aumentar em um ritmo alarmante, o que acarretará conseqüências desastrosas de saúde.

9 Assim, é preciso analisar a psicodinâmica do trabalho7 e discutir como os aspectos de uma atividade profissional podem favorecer o estado de saúde ou de doença. É também muito importante que haja a percepção dos elementos que acontecem freqüentemente e que geram, por exemplo, expectativas frustradas, cansaço, disputas, competições e desarmonia. Assim, a tomada de consciência no sentido de desmascarar um simples sintoma pode levar à reflexão sobre a forma como pensamos e sentimos a vida, a qualidade de vida que temos e, ainda, a desejar da vida e das relações humanas aquilo que elas podem nos dar de melhor.

Considerando o acima exposto, este estudo propõe-se a investigar as fontes de estresse para o professor universitário, de maneira a construir um retrato das suas condições de trabalho do. Propõe-se, ainda, a discutir quais os movimentos
que podem desencadear tais processos e indicar estudos que visem ao aprofundamento dessa realidade, de modo a sugerir uma futura intervenção objetivando uma melhoria na qualidade de vida do professor em seu ambiente de trabalho.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Relatórios de atividades da Secretaria RELATÓRIO DA REUNIÃO DO COLETIVO DE SAÚDE DATA: 10 de maio de 2010 - Sede da CUT/ES PRESENTES: Aguiberto (CUT/ES), Cláudio Campos (Sinergia/Suplente CES), Jair e Bernardo (Sindimármore), Mara Rúbia (Sindilimpe), Carlos Sérgio (Sindicomerciários), Júlio (Sindialimentação). Ausência justificada: Herwal (Suport). Pauta: • Informes • Seminário reformulação lei 8.213 • Conferência Estadual Saúde Mental • Encontro Regional Sudeste Saúde do Trabalhador







http://www.sinte-sc.org.br/?FamilyID=Principal

Um comentário: